Operação prende prefeito e vereador de Mata Grande, Alagoas

26/12/2017

Primeira Mão Notícias - G! - foto divulgação

 

 

 

 

 

 

O prefeito de Mata Grande Erivaldo de Melo Lima, o Erivaldo Mandú (PP), e o vereador Joseval Antônio da Silva (PP) foram presos neste domingo (24). A informação foi confirmada pela Polícia Civil.

Segundo o delegado da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), Guilherme Iusten, as prisões aconteceram naquele município sertanejo.

O delegado não deu detalhes sobre a operação, mas afirmou que ela aconteceu em conjunto com o Ministério Público do Estado de Alagoas (MP). A assessoria do órgão afirmou, no entanto, que desconhece a informação.

Questionado sobre o motivo das prisões, o delegado disse que prefere que o MP se pronuncie e esclareça as investigações.

G1 não conseguiu contato com os representantes legais dos presos. A assessoria de comunicação da prefeitura informou que não recebeu informações oficiais sobre as prisões.

As prisões de Mnadú e Silva acontecem dois dias após o ex-prefeito de Palestina, Júnior Alcântara (PMDB), e o vereador Luciano Lucena (PMDB), terem sido presos. O motivo dessas prisões também é desconhecido.

Ele foi filmado pagando 'mensalinho' a vereadores por aprovação de projetos, diz MP.

prefeito de Mata Grande, Erivaldo de Melo Lima, o Erivaldo Mandú (PP), preso em operação no domingo (24), foi filmado pagando propina a vereadores em troca da aprovação de projetos de interesse do Município. A informação é do Ministério Público do Estado de Alagoas (MP-AL).

Além do prefeito, foi preso o vereador Joseval Antônio da Costa (PP). O vereador Teomar Brandão (PP) também teve a prisão decretada e era outro alvo da operação do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), mas está foragido.

G1 não conseguiu contato com a defesa dos suspeitos.

As investigações começaram na última semana. Segundo o MP, o prefeito estava pagando mensalinho no valor de R$ 7 mil a quatro vereadores em troca da aprovação de Projetos de Lei.

No vídeo a que o MP teve acesso, aparecem quatro vereadores, mas somente os dois que tiveram a prisão decretada são mais visíveis nas imagens.

As prisões foram requeridas pelo Procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, por causa da prerrogativa de função do prefeito.

Também foi pedida a prisão de uma vereadora do município, mas a Justiça negou o requerimento.

Os mandados de prisão foram expedidos no fim de semana pelo juiz Celírio Adamastor, magistrado que estava no plantão judiciário.

Os suspeitos ainda vão ser ouvidos pelo MP. As investigações continuam.

2018 - Todos os direitos reservados
PRIMEIRAMAONOTICIAS.COM.BR