Saiba como reduzir a conta de luz em época de reajustes

29/06/2018

Primeira Mão Notícias - foto divulgação

 

 

 

 

 

 

Profissionais de energia solar falam como usar sistema em casa

Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou recentemente que a bandeira tarifária em junho ficaria no segundo patamar da cor vermelha, o mais alto. De acordo com analistas do setor, isso implica em um aumento de 10% a 25,7% na conta de energia do mês de junho, na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Além disso, muitas distribuidoras regionais devem repassar nos próximos meses os reajustes do serviço, deixando a conta ainda maior. Mas o consumidor pode recorrer a sistemas alternativos de energia para evitar despesas futuras excedentes.    

Desde 2012, a resolução 482 da Aneel permite ao consumidor abater o preço da conta de luz se o mesmo possuir um sistema independente de geração de energia em sua casa ou empresa. Ruberval Baldini, diretor executivo da BR Solar e presidente da Associação Brasileira de Energias Alternativas (Abeama), um dos responsáveis pela implantação da medida, disse à ANSA que é viável, sim, criar o próprio sistema.   

De acordo com Baldini, o consumir precisa primeiro contatar uma companhia especializada em energias renováveis para fazer um estudo da conta de luz e entender qual a melhor maneira de modificá-la.

Feito isso, a energia geradora é aplicada na residência, que passará a ter dois relógios de medição: um de ida, que contabiliza o consumo, e outro de volta, que "empresta" a energia solar que não foi utilizada pelo consumidor para a concessionária realizar a redistribuição em outros locais.   

Através do método, é gerado um crédito energético, que pode ser compensado da tarifa de luz em até 36 meses. Como ter energia renovável em casa e no trabalho? Segundo Baldini, é necessário que haja uma boa área de insolação no local que se deseja aplicar a tecnologia. Porém, também existem no mercado soluções caso a incidência solar não seja suficiente para sustentar o sistema.   

"Se o cliente tem uma garagem com área descoberta em casa, podemos cobrir o carro com painéis. E se esse mesmo automóvel for elétrico, fornecemos um carregador", falou o diretor executivo da BR Solar. Outra forma de reduzir a conta de energia elétrica é ter um sistema de aquecimento para água do chuveiro, ou para reaproveitar água da caixa para regar jardins.

A energia gerada também pode beneficiar empresas com grande área de insolação ou pequenos comércios que usem os painéis fotovoltaicos. Vantagens: Para Gerson Max, gerente de negócios da Premium Solar, que atende integradores e empresas de engenharia oferecendo treinamentos profissionais para a instalação de energia solar, o sistema "reduz custo, ajuda o planeta e cria independência".

Além disso, o Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) anunciou a liberação de créditos para a instalação residencial de sistemas fotovoltaicos em 26 de junho, o que torna mais fácil o pagamento do modelo.   

A BV Financeira também realiza financiamentos para a energia solar. A resposta para o empréstimo, segundo apontado por Max, leva 48 horas e o banco apresenta propostas a serem restituídas em até 60 meses.

As propostas da BR Solar, da Premium Solar e de diversas outras companhias foram apresentadas durante 7ª EnerSolar + Brasil, ocorrida entre os dias 22 e 24 de maio, no São Paulo Expo. A feira ocorre anualmente e é promovida pela Cipa Fiera Milano.   

Em 2019, o evento chegará à sua 8ª edição, sendo considerada uma das mais importantes da América Latina no setor, pois aborda, além da energia solar, outros tipos de energias alternativas, limpas e renováveis, como fotovoltaica, eólica e biomassa.   

Simultaneamente à feira, a Cipa Milano organiza debates e discussões nos eventos paralelos Ecoenergy - Feira e Congresso Internacional de Tecnologias Limpas e Renováveis para a Geração de Energia, que está em sua 8ª edição - e no Biomass Day - Congresso Internacional da Biomassa, que em 2018 chegou em sua 2ª edição.

Com a greve de caminhoneiros que afetou todo o Brasil em maio, sendo chamada de "Crise do Diesel", a pauta de energias alternativas propostas pela feira deve ganhar ainda mais força na próxima edição do evento.(ANSA)

2018 - Todos os direitos reservados
PRIMEIRAMAONOTICIAS.COM.BR