Aéreas começam a fechar vagas com aumento da crise do coronavírus | Primeira Mão Notícias

Aéreas começam a fechar vagas com aumento da crise do coronavírus


Aéreas começam a fechar vagas com aumento da crise do coronavírus

16/03/2020 07:49:38

Primeira Mão Notícias - foto divulgação 

O impacto da crise do coronavírus sobre o setor aéreo ganhou números concretos neste final de semana. A Air France deve colocar em lay-off (suspensão temporária de trabalho) até 80% de seus 40 mil funcionários, depois que o governo francês implantou medidas drásticas de restrição de circulação no país, no sábado.

A KLM, sócia holandesa da Air France, também planeja cortar até 2.000 vagas temporárias, que não serão renovadas e suspender um quarto de seus voos neste mês, e até 40% das viagens no próximo trimestre.

Neste domingo, o governo da Holanda suspendeu todas aulas e decretou o fechamento do comércio e de atrações turísticas como coffee shops (onde se pode comprar maconha) e casas de prostituição.

A KLM também estuda deixar em lay-off parte de seus 30 mil funcioniários.

O impacto também já provoca baixas nos Estados Unidos, onde o presidente Donald Trump estendeu a proibição de entrada de europeus aos cidadãos britânicos e irlandeses.

No sábado, a American Airlines anunciou que vai cortar 75% de seus voos até o começo de maio de deixar em solo seus aviões maiores, e a Delta deve interromper praticamente todos os voos para a Europa e deixar 300 aviões no solo pelos próximos 30 dias.

A United Airlines também anunciou a interrupção de voos para o Reino Unido.

A ampliação da restrição americana levou as empresas britânicas a pedirem, neste domingo, ajuda ao governo.

Segundo cálculos da consultoria britânica OAG, a medida dos Estados Unidos deve afetar 6.747 voos e quase 2 milhões de assentos nas próximas quatro semanas.

O efeito sobre as companhias aéreas europeias se intensificou nos últimos dias com novas proibições de voos e fechamentos de fronteiras.

Na Escandinávia, onde Noruega e Dinamarca se fecharam para a entrada de estrangeiros, a SAS anunciou que colocará 90% de seus funcionários em lay-off a partir desta segunda. Cerca de 10 mil trabalhadores terão seu trabalho suspenso.

© Primeira Mão Notícias - 2019 Todos os direitos reservados